Comunicados

Data Comunicado Nº 11/2015
16.11.2015

Dias 17 e 18 de Novembro, NÃO VOTES!

FAZ VALER A TUA FORÇA.

DIA 17 E 18 DE NOVEMBRO, NÃO VOTES.

UNIDOS E SOLIDÁRIOS, SOMOS MAIS FORTES. 

 

Caros Colegas,

 

A APIT, desde que surgiu a polémica da “Lista VIP”, teve uma postura de defesa intransigente da seriedade e responsabilidade dos trabalhadores da AT exigindo à administração que agisse em defesa dos seus profissionais, procedendo interna e externamente a todos os esclarecimentos.

Por incrível que pareça, institucionalmente, só a APIT e a CNT das Alfândegas têm lutado, acima de tudo e de todos, de questões político-partidárias ou de questões pessoais, e em todos os fóruns que participa, pela dignidade e honra dos trabalhadores da AT.

Não esquecemos ainda que praticamente passado um ano sobre o início deste maldito processo continuamos desconhecedores das investigações que certamente a AT terá desenvolvido no sentido de perceber as origens e autores das situações que originaram a referida polémica assim como das necessárias e obrigatórias consequências.

Como é do conhecimento do poder politico e administrativo, o sistema informático da AT sempre possuiu os maiores padrões de segurança, sendo também do seu conhecimento que os profissionais da AT sempre tiveram um comportamento ético inigualável em toda a Administração Pública Portuguesa.

Mesmo considerando que é sempre possível melhorar os padrões de segurança, a APIT não se revê nos procedimentos implementados pela Autoridade Tributária e Aduaneira, nem apoia a criação de comités ou subcomités éticos de segurança ou controlo em que a representação dos trabalhadores não se faça, sobretudo, através das organizações representativas dos mesmos e num formato de paridade (ou seja, num formato ético e responsável).

Se dúvidas existissem vejamos a “formação” em e-learning que somos “obrigados” a frequentar, e que parece partir do princípio que nenhum de nós compreende as responsabilidades das funções que desempenha e os princípios éticos que regem o seu exercício. A preparação dessa ação é infelizmente reveladora de um absoluto desconhecimento da realidade da AT, da realidade em que os seus profissionais laboram.

Neste sentido, consideramos que os trabalhadores da AT correm o risco de, ao votar nos atos eleitorais agendados para os próximos dias 17 e 18 de novembro, aceitarem e compactuarem com soluções que são essencialmente inócuas – duplicação dos sistemas de controlo e falta de eficácia do comité a ser eleito – e lesivas quer do bom nome dos trabalhadores da AT quer da eficiência no exercício das suas funções – aumento da burocracia e consequentemente do tempo “perdido”.

Não podemos concordar na constituição de organismos que, compostos em maioria por membros da administração que esteve na origem dos casos que agora pretendem supervisionar, sejam legitimados com a eleição de trabalhadores com o estatuto de meros observadores.

Em nenhum momento a nossa posição é uma crítica aos trabalhadores que de forma voluntária se candidatam a estes lugares, nem às suas capacidades pessoais ou profissionais. É uma crítica a um sistema que não resolve, que não constitui um avanço, e que aceita o rótulo de “coscuvilheiros” que nos foi, a todos, “colado” por relatórios da CNPD e da IGF, aos quais a AT não respondeu publicamente como devia: em defesa de todos os profissionais da AT.

A APIT desenvolverá todos os esforços possíveis no sentido de, junto do próximo elenco governativo, alterar e mesmo reverter as soluções apresentadas na sequência do caso “Lista VIP”, em prol de respostas que contribuam para uma efetiva maior transparência sempre em respeito pela dignidade e honra de todos os profissionais da AT, assim como obviamente dos direitos e garantias de todos os contribuintes. 

A Democracia e a Liberdade também são representadas pelo protesto que representa a recusa em, votando, contribuir para soluções inócuas e mesmo lesivas da nossa dignidade.

 

 

FAZ VALER A TUA FORÇA.

DIA 17 E 18 DE NOVEMBRO, NÃO VOTES.

UNIDOS E SOLIDÁRIOS, SOMOS MAIS FORTES. 

 
 
Podem ainda efetuar mais abaixo o download do comunicado da CNT das Alfândegas com a posição desta entidade com referência a este ato eleitoral.